DIA DO OBSTETRA – ALIMENTAÇÃO NA GESTAÇÃO!

Parabéns para TODOS os obstetras que cuidam das nossas grávidas e recém nascidos!

Seguem algumas dicas para a saúde da mãe e do bebê…

Proteínas
Devido ao processo de construção de novas células do bebê e no próprio corpo da gestante para abrigá-lo há um aumento das necessidades diárias de proteínas, pois são nutrientes construtores e importantes para inúmeros processos no corpo.
Temos como fonte proteínas as de origem animal (carnes, aves, peixes, ovos, leite, queijo, iogurte) e as de origem vegetal (cereais integrais, feijão, lentilha, ervilha, grão de bico).
Vale lembrar que as proteínas de origem animal são consideradas proteínas completas (contém todos os aminoácidos essenciais); enquanto que as de origem vegetal por não contê-los, devem ser associadas com cereais (por exemplo feijão com arroz, ervilha com milho,etc.) para obtermos um conjunto de aminoácidos essências (proteínas completas).

Ácido Fólico
Vitamina importante para redução do risco de malformações do sistema nervoso central e do feto e outros efeitos congênitos.
É encontrada em vegetais folhosos verdes, cenoura, gema de ovo, trigo integral e farinhas integrais.

Cálcio
Durante a gestação a ingestão de cálcio nas recomendações adequadas é essencial para a formação do feto e da manutenção do bom funcionamento do organismo materno. Quando o consumo pela mãe do mineral é insuficiente, o feto passa a resgatar as reservas de cálcio da mãe (dos ossos e demais depósitos), podendo ocasionar queda de cabelo, unhas fracas e a longo prazo poderá desencadear o enfraquecimento dos dentes e dos ossos (osteoporose).
São boas fontes de cálcio o leite, queijo, iogurte, alimentos fortificados com cálcio, salmão, sardinha enlatada, sorvete de leite, espinafre, almeirão, couve, tofu.

Vitamina D
Como a vitamina D auxilia na absorção de cálcio, tal como se apresenta uma demanda maior de cálcio na gestação, recomenda-se conjuntamente o aumento de vitamina D.Sua falta pode provocar atraso no crescimento e deformações ósseas.
Encontramos vitamina D em fígado, peixes, ovos, manteiga.

Ferro
O ferro é parte da hemoglobina, que é um constituinte importante das células sanguíneas, sendo responsável pelo transporte do oxigênio para todas as células do organismo da mãe e do feto. A anemia é ocorre muitas vezes na na gravidez, proporcionando sintomas como indisposição, fraqueza e tonturas.
Boas fontes de ferro são: vísceras,carnes vermelhas, aves, peixes, feijões e hortaliças folhosas (ex.: couve, espinafre, brócolis), recomenda-se consumir frutas cítricas depois de consumir estes alimentos.

Água
Deve-se ingerir pelo menos seis a oito copos de água (em torno de dois litros ao dia). A água ajuda a manter o bom funcionamento do intestino, reduz risco de infecções urinárias e posteriormente ao nascimento da criança, conforme maior for a ingestão de líquidos, maior será a produção materna de leite. Dê preferência à água, aos sucos naturais e à água de coco, pois esses últimos além de hidratarem fornecem vitaminas e minerais.

Outras recomendações

* Caso tenha náuseas e enjôos (comuns no primeiro trimestre gestacional) procure tentar se alimentar de 5 a 6 refeições pequenas durante o dia, evitando grandes volumes de alimentos ou líquidos. Evite deitar-se ou sentar-se muito inclinada logo depois de comer para não ter refluxos. Mastigue bem devagar os alimentos, sem pressa, em locais e horários mais tranqüilos para uma boa digestão. Uma boa dica para a azia matinal é consumir 2-3 bolachas de água antes de levantar-se da cama e aguardar o café da manhã para depois de se sentir melhor.

* Evitar excesso de sal e alimentos salgados para não ter um aumento de pressão arterial e retenção hídrica (especialmente se a mãe já era hipertensa antes da gravidez)

* Procure se abster de álcool, cigarro ou drogas, pois são substâncias danosas ao organismo da mãe e do feto, o sangue recebe todos os nutrientes e atravessa a placenta, atingindo o sistema circulatório do feto.

* Tente consumir diariamente frutas, verduras, legumes e cereais integrais para garantir um bom aporte de fibras que manter um trânsito intestinal adequado (é comum a mãe sofrer de prisão de ventre na gestação) e garantir as vitaminas e minerais que ela e a criança necessitam.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *