Alimentação com efeito Cicatrizante

Alimentação com efeito Cicatrizante

Você conhece os alimentos que ajudam e aceleram o cicatrização? Temos algumas dicas para você ficar por dentro de tudo!.
Deixe de lado suas panelas de alumínio, prefira as de vidro e teflon assim como as bebidas em latas (refrigerantes, águas, sucos, chás), retire do seu cardápio as frituras e carnes gordas, exclua do seu dia-a-dia alimentos fonte de gordura trans (biscoitos, margarinas, sorvetes, congelados, massa folhado, bolos industrializados), não fique longos períodos sem se alimentar. Procure ingerir algum alimento de 3 em 3 horas, não se esqueça durante o dia de acrescentar aproximadamente, 2 colheres de sopa de farinha de semente de linhaça. Aumente a ingestão de antioxidantes (vitamina C, vitamina A e antocianina). Aumente a ingestão de blueberry e gojiberry, são os maiores antioxidantes que temos hoje no mercado. Cuide da sua hidratação e evite a ingestão dos seguintes alimentos: abacate, soja, porco e seus derivados. Mantenha a elevada ingestão de antioxidantes. Inclua na alimentação alimentos fonte de Quercitina: tomate, uva, maçã e cebola. Abuse das ervas aromáticas, como a Sálvia, para tempero. Aproveite os benefícios do chá verde e Centella Asiática

DICA: SHAKE CICATRIZANTE

Ingredientes

– 1 col. (sopa) de goji berry fresca (ou seca)

– 150 ml de suco de laranja ou água de coco

– 1 col. (sobremesa) de açúcar mascavo

– 1 col. (chá) de gengibre ralado

– 1 folha de couve manteiga

– Gelo picado

Modo de fazer

Bata tudo no liquidificador, coe e tome em seguida.

Rendimento: 1 copo (200 ml)

Calorias: 140 calorias

Nação Verde indica: Aloe Potion

Saiba como se livrar da Acne

Saiba como se livrar da Acne

Existem diversos fatores que podem ocasionar a acne, uma delas é a dieta rica em gorduras e açúcares. Veja as dicas sobre os alimentos que precisam ser evitados para o combate à acne. A dieta ocidental está intimamente relacionada com a presença ou aumento da acne.

Uma dieta rica em frutas, legumes, alimentos integrais e de baixo índice glicêmico está associado a um menor índice de doenças, entre elas a acne. Alimentos ricos em vitamina A e C são essenciais para constituição e manutenção de uma pele saudável. Vitaminas do complexo B, controlam a produção de sebo. O consumo inadequado de vitaminas e minerais podem causar diversas manifestações dermatológicas evidentes.

Ácidos graxos essenciais podem auxiliar nos desequilíbrios hormonais que levam a acne. Ou seja, pessoas que possuem acne e tem distúrbios hormonais, tem deficiência em ácidos graxos. Para repor esses ácidos, a dieta precisa ser rica em óleo de girassol, soja e milho, semente de girassol e linhaça. A vitamina A é necessária para a manutenção de uma pele saudável e de um equilíbrio hormonal adequado.

Estudos comprovam quem pacientes com acne severa tem baixos níveis de vitamina A. A suplementação de vitamina A por algumas semanas podem até mesmo curar a acne de algumas mulheres, em alguns casos as cicatrizes desaparecem. Com duas semanas de tratamento, não aparecem mais erupções novas. Após um mês com suplementação de vitamina A, vitamina E e levedo de cerveja, pode ocasionar o desaparecimento da acne. A Vitamina B6 ajuda a melhorar a acne em mulheres com distúrbios menstruais e hormonais.

O selênio associado com a vitamina E e A, podem em 12 semanas, reduzir a gravidade da acne resistente e aliviar as cicatrizes. A quantidade de cafeína existentes nos cafés, chás, refrigerantes, estão associados ao aumento da acne também. O aumento de cafeína esta relacionado ao aumento de hormônios do estresse que podem levar ao aumento da acne ou a piora de um quadro pré existente. Carne vermelha, leite e derivados também estão associados ao aumento da acne, pois altos teores de proteína aumentam o IGF-1, o hormônio de crescimento tipo insulina- que faz com que as glândulas sebáceas congestionem, piorando os quadros da acne.

Mascara natural de morango contra Acne

Para preparar esta máscara caseira, só tem que esmagar cinco morangos para extrair a sua polpa e acrescentar uma colher de mel. Assim que estiver tudo bem misturado, aplique sobre o rosto e quando a pele a tiver absorvido bem, lave o rosto com água morna.

Light ou Diet? Você sabe a Diferença?

Light ou Diet? Você sabe a Diferença?

Na hora da compra sempre surge a dúvida sobre os alimentos Diet ou Light, a maioria das pessoas não conhecem a diferença entre eles e acabam os consumindo de forma errada. Os produtos Diet, são utilizados para fins especiais e são isentos de algum nutriente, como por exemplo, o açúcar, são indicados para as pessoas com diabetes ou com intolerância a glicose.

É importante sempre ficar atento ao rótulo desses alimentos, pois a quantidade de gordura pode ser muito maior do que o produto original. É por essa e outras razões que os alimentos Diet precisam ser consumidos com moderação. E os alimentos light são que aqueles que possuem 25% menos calorias que o produto original e não importa qual nutriente foi retirado da composição. São indicados para pessoas que estão em dieta com restrição de calorias.

O ideal para uma alimentação saudável é sempre dar preferência para os alimentos naturais, como frutas verduras, legumes e consumir os industrializados com moderação Hoje, mais do que nunca , é possível encontrar nas prateleiras dos supermercados uma infinidade de alimentos e bebidas com os dizeres “diet” ou “light”: desde leites, iogurtes, pães, geléias, refrigerantes, requeijão, até panetones, chocolates em geral, barras de cereais, etc.

 Entretanto, a grande maioria das pessoas não sabe o que significam estes termos, ou faz confusão entre eles, de forma que um passa a ser sinônimo do outro. Além disso, as pessoas geralmente pouco se preocupam em saber o que cada um desses alimentos apresenta em sua composição, ou seja, não procuram se informar sobre o que é que o alimento contém que o torna diferenciado dos demais. Mesmo porque, as vezes a diferença é tão insignificante que o investimento realizado não vale a pena, já que geralmente esses alimentos especiais são mais caros que os tradicionais.

O que são alimentos DIET?

Quando a palavra “diet” está estampada no rótulo de um alimento ou bebida, significa que existe a ausência total de algum ingrediente, que pode ser o açúcar, o sal, a gordura, etc. Assim, produtos específicos para diabéticos devem ser totalmente isentos de açúcar, para pessoas com problemas cardiovasculares, a restrição deve ser de gordura, e assim por diante…. Contudo, isso nem sempre quer dizer que ocorre uma redução nas calorias do produto em questão.

É aí que muitas pessoas se enganam e é nesse caso que quero chamar a atenção do leitor. Tomamos como exemplo os chocolates “diet”, onde todo o açúcar utilizado na sua fabricação é substituído por adoçantes. Geralmente, este tipo de alimento é desenvolvido para diabéticos, mas acabam sendo também adquiridos por pessoas que querem restringir as calorias de sua dieta.

A palavra “diet” do chocolate dá muitas vezes uma conotação de que ele é pouco calórico e isso acaba estimulando a compra daqueles que que querem emagrecer ou manter a forma. Mas o que poucos sabem é que a troca do açúcar por adoçantes no momento da fabricação, modifica em grande parte a textura do alimento.

Para conseguir a textura habitual, os fabricantes acabam adicionando mais gordura, o que faz com que o total de calorias do chocolate “diet” (535cal/100g) fique equivalente ao do não “diet”(565cal/100g). O consumidor mal informado, paga mais caro por um alimento com as mesmas calorias da versão normal, embora não contenha a presença da sacarose.

O que são alimentos LIGHT?

Os alimentos considerados “light” são aqueles com baixo teor de componentes (sódio, açúcares, gorduras, colesterol) e/ou calorias, ou seja, não são isentos totalmente como os “diet”. Por isso, esses alimentos não tem como finalidade atender as necessidades dietoterápicas, nem são indicados para dietas específicas. Os alimentos são classificados como “light” quando houver uma redução de pelo menos 25% da quantidade de um determinado nutriente e/ou calorias em relação ao alimento tradicional.

No caso de alimento sólido, no que se refere às calorias, o valor total da redução deve ser no mínimo de 40 calorias para cada 100g de alimento e para alimentos líquidos esse valor diminui para 20 calorias. Assim como os “diet”, os alimento “light” também podem causar confusão às pessoas mal informadas. Por exemplo, existem certos adoçantes “light” que podem colocar em risco a saúde de pessoas diabéticas, pois contém açúcares em sua composição.

É fundamental também que o rótulo do alimento acuse o nutriente que foi visado pelo fabricante com o objetivo de tornar o alimento “light”, isto porque a utilização desse termo, por si só, não é suficiente para que o consumidor identifique o perfil do produto. Alimentos “DIET” ou “LIGHT”: comprar ou não comprar? Diet, light, shakes, sugar free, fat free, slim, low…. O brasileiro tem uma atração toda especial para o que está escrito em inglês e parece que isto dá ao produto uma confiabilidade toda especial. Contudo, “diet”e “light” não são garantia de saúde.

Existe uma infinidade de alimentos cujos rótulos prometem maravilhas e que são muitas vezes pura enganação. Quantas vezes ouvimos certas propagandas no rádio, TV, jornais e revistas de alimentos e bebidas que prometem o impossível, comprometendo inclusive a saúde do consumidor desinformado? A nossa recomendação para todos é que se leia atentamente os rótulos desses produtos, observando a composição, o grau de calorias que cada um tem, a quantidade de aditivos químicos, etc. Só assim poderemos descobrir o que existe realmente dentro deles.

Caso haja alguma dúvida a respeito de algum ingrediente, pergunte a um profissional habilitado a reconhecer os componentes da formulação (nutricionistas, tecnólogos de alimentos, químicos, médicos, farmacêuticos e afins). Além disso, procure consumir produtos de indústrias idôneas, éticas, que também se preocupam com seus consumidores. Cuidado com as fábricas de fundo de quintal.

Algumas dicas, que do meu ponto de vista, são importantes na hora de se consumir alimentos “diet” ou “light’.

– Adoçantes: Sacarina, aspartame, ciclamato, steviosídeo, acessulfame-K, sucralose. Todos eles são edulcorantes, substâncias artificiais ou naturais muito mais doces que o açúcar, responsáveis pelo sabor doce no adoçante. Geralmente adoçam o alimento com muito pouca ou nenhuma caloria e exercem um papel importante já que são muito utilizados na fabricação de alimentos “diet” ou “light”. Embora indicados inicialmente para pessoas obesas ou diabéticas, observa-se hoje que estão presentes em mesas de pessoas que querem manter sua forma física ou estão preocupadas em abandonar ou restringir o nível calórico de sua alimentação.

Entretanto, assim como o excesso de açúcar não faz bem para nossa saúde, adoçante tão pouco. Por isso, sempre recomendo que a menos que exista um problema de saúde (diabetes, por exemplo), prefira ingerir pouco açúcar à grandes quantidades de adoçantes. Não é porque o produto é “diet” ou ‘light” que pode ser ingerido em quantidades maiores. Lembre-se que a maioria dos adoçantes não são naturais;

– Alimentos “light” onde a quantidade de gordura foi reduzida são muito melhores para sua saúde do que os tradicionais. Leites, iogurtes, requeijão, queijos, maioneses, creme de leite, batatas fritas, pipocas com teores mais baixos de gordura devem ser preferidos àqueles tradicionais. Mesmo porque, geralmente esses alimentos acabam apresentando uma concentração maior de outros nutrientes importantes para nossa saúde.

É o caso do cálcio em leite e derivados, que se apresenta geralmente em maiores quantidades nos produtos “light”. Mas lembre-se sempre: não é porque esses alimentos contém teores menores de gordura que você vai sair comendo como um louco, por que o excesso também faz mal. Maionese, creme de leite, batatas e pipocas, por exemplo, não devem ser consumidos diariamente;

– Refrigerantes e sucos “diet” ou “light” devem ser consumidos com moderação, principalmente aqueles em pó, que são puras misturas químicas. Lembre-se sempre, você estará trazendo inúmeros benefícios à sua saúde cada vez que trocar um copo dessas bebidas por um copo de suco natural, rico em nutrientes importantes para o seu organismo;

– Para geleias, chocolates, gelatinas, doces em geral considerados “diet”, vale a mesma dica dos adoçantes.

Como melhorar a Saúde das suas Unhas

Como melhorar a Saúde das suas Unhas

Unhas fracas? Você sabia que pode ser algum problema de saúde? Para entender o que devemos fazer se nossas unhas apresentam algum problema, primeiro, é necessário entender um pouco mais sobre sua composição. A unha é formada por queratina, uma proteína fibrosa que além de nutrir as unhas, é essencial para a saúde do organismo. Muitas vezes unhas francas pode ser um sintoma de problemas de saúde ou deficiência nutricional.

Para deixa-las saudáveis, é necessário prestar mais atenção na alimentação, para que ela não fique frágil e quebradiça, iremos abordar algumas vitaminas e minerais que não podem faltar para sal formação.

– Vitaminas do complexo B: sua falta pode deixar as unhas com listras

Calcio: o cálcio é responsável por deixar as unhas hidratadas e resistentes

– A produção de queratina é feita através do conjunto de vitaminas do complexo B, aminoácidos, vitaminas C e E

Analise suas unhas:

– Síndrome da unha amarela: esta patologia é caracterizada por unhas rígidas e opacas, de cor amarelada, sem presença de cutícula, linhas transversais e longitudinais proeminentes, curvatura lateral exagerada e crescimento reduzido. A vitamina E em altas doses e por um longo período de tempo está sendo utilizada como tratamento para essa síndrome, porém o seu uso tem sido descrito como causador de sérios efeitos colaterais.

– Síndrome da unha frágil: conhecida pela diminuição da resistência ungueal e que acomete principalmente as mulheres. A exposição a agentes químicos, alguns cosméticos, fungos e traumas repetitivos podem desencadear a síndrome da unha frágil. O tratamento é realizado através dou uso de biotina que apresenta melhora no quadro clínico.

O tratamento ocorre de dentro para fora, ter uma alimentação balanceada é essencial para manter a saúde! Para saber quais alimentos devem ser introduzidos, listamos de forma prática alguns antioxidantes que devem fazer parte de sua dieta.

– Aumente o consumo de vitamina C: Laranja, pimentão amarelo, mamão e morango.

Consuma todos os dias algum desses alimentos que são ricos em vitamina E:

Vegetais de folhas verdes escuras, nozes, sementes e grãos integrais. A biotina é essencial para a saúde da unha e do cabelo, consuma alimentos como: Peixe de água salgada, gema cozida, levedura e grãos integrais. Fontes de vitaminas do Complexo B: ovo, carne, aves e leite. Para incorporar na alimentação, a alimentação de 3 em 3 horas garante uma variedade maior de alimentos, pouco volume e aumento do fracionamento, deixe as frutas, nozes, para os lanches intermediários. As folhas verdes, vegetais, carnes, ovos, sementes integrais, introduza nas principais refeições

DICAS PARA TER UNHAS SAUDÁVEIS:

Precisamos ter alguns cuidados básicos para que tenhamos unhas saudáveis:

– Limpeza: Utilize uma escovinha macia para limpar embaixo das unhas.

– Instrumentos: Mantenha seus instrumentos de metal (alicate, palito e espátula) sempre limpos e desinfectados, outros instrumentos como lixa e palito são descartáveis.

– Cutículas: O ideal é não retirá-las, elas são uma forma de proteção das unhas contra microorganismos e infecções, mas gostamos de retirar, então, retire só o excesso.

– Lixa: Para deixar suas unhas bem lisinhas, sem impurezas e células mortas é bom lixar sua superfície com uma lixa própria para isso.

– Fortalecer as unhas: Em alguns casos unhas fracas são decorrentes de má alimentação e falta de algumas vitaminas. Aplique um creme hidratante para mãos diariamente massageando suas unhas em movimentos circulares. Você pode aplicar também uma base nutritiva, casco de cavalo ou algum tipo de base para unhas fracas.

– Esmalte: Não deixe o esmalte por muito tempo nas unhas pois elas precisam respirar. Deixar esmalte nas unhas por mais de cinco dias consecutivos pode enfraquecê-las. Deixe-as respirar por uma semana sem esmalte algum e hidrate-as nesse período.

Nação Verde recomenda: Vitalitá, Perfectum

Blueberry, o Melhor alimento para os Olhos

Blueberry, o Melhor alimento para os Olhos

A alimentação tem papel fundamental para uma boa visão, existem nutrientes como a luteína e a zeaxantina que pertencem ao grupo dos carotenoides, esses antioxidantes são depositados em grande quantidade na retina e na mácula do olho (parte central da retina, região de maior cuidado visual e que possui cor amarelada justamente pela sua presença) e se mostra essencial para a sua preservação.

Além disso, protege contra efeitos nocivos dos raios ultravioletas, protegendo os tecidos da oxidação Alguns nutrientes beneficiam a visão e potencializam a prevenção para a saúde dos olhos. A vitamina A, C e E, juntamente com a luteína e a zeaxantina estão presentes em frutas e vegetais com pigmentos amarelados, alaranjados e avermelhados, alimentos como óleos de peixe ou vísceras que também previnem problemas de visão ligados ao envelhecimento. Um estudo do governo americano (com 4.757 idosos), mostrou que doses elevadas de vitaminas (como a vitamina “C”, a “E” e o betacaroteno), aliadas ao mineral zinco, podem desacelerar e até prevenir a perda de visão com degeneração macular, uma das principais causas de cegueira nessa idade.

A perda de visão foi reduzida em 25%, na população estudada. A blueberry, conhecida no Brasil como mirtilho, concentra todos esses nutrientes. Ideal para quem busca uma visão mais saudável e nítida.  Além dele, invista nos Peixes gordos como a sardinha, bacalhau, cavala e atum, são ricos em vitamina D que cuida da boa circulação sanguínea e, portanto, pelo aporte de oxigênio na retina. Eles impedem a oxidação da estrutura do olho.

Couve e verduras de folhas verdes escuras, contem vitaminas e minerais, principalmente os carotenos que previnem a deterioração da mácula. Exemplos desses alimentos são a laranja, a maçã, o mamão papaya, a cenoura, o brócolis, a couve, o pêssego, a ameixa seca e a tangerina. Os Ovos possuem em sua composição o Retinol, outro nome da vitamina A, é essencial para a saúde dos olhos.

Além disso, tem alta concentração de luteína e zeaxantina. Alho, cebola; possuem ação antimicrobiana e anti-viral. Age sobre os vasos, dilatando-os e diminuindo a pressão arterial, prevenindo o glaucoma. Nozes e sementes de linhaça; ajudam no desenvolvimento cerebral e visual por serem fontes de w3. Azeite virgem: reduzem o risco da degeneração macular, tipo de lesão na retina que pode levar a uma perda irreversível da visão.

Coloque em um lanche da manhã

01 col de sopa de blueberry, 01 col de sopa de gogiberry e 01 de cramberry

Consuma todos os dias

Além de aumentar a boa qualidade da visão, previne diversas doenças e ajuda a melhorar a estética.

A Nação Verde indica: Core, Zen, Vitalitá.

Alimentos para o Cérebro

Alimentos para o Cérebro

Na correria do dia-dia quem não precisa de maior concentração, atenção, memória e combater o estresse? Apesar de parecer difícil conseguir tudo isso é possível sim ter tudo isso e mais um pouco com alguns hábitos diários. A alimentação pode potencializar o rendimento  nos estudos, no trabalho e diminuir a ansiedade. Veja alguns hábitos saudáveis para você sua saúde cerebral:

· Alimentar-se de forma equilibrada (Evitar o consumo de alimentos “pesados” que são muito gordurosos e bebidas alcoólicas, pois dificultam a digestão e a liberação de energia para o cérebro);

· Fracionar as refeições, evitando ficar muito tempo sem comer;

· Evitar dietas que restringem todas as fontes de carboidrato;

· Consumir aproximadamente 2 litros de água por dia;

· Diminuir o consumo de sal e alimentos com alto teor de sódio para manter a pressão arterial adequada;

· Evitar o excesso de bebidas alcoólicas e a utilização de medicamentos sem a orientação de um médico.

Alguns alimentos para você colocar no seu prato:

· Grãos integrais – Opção mais saudável para fornecer glicose para o cérebro;

· Peixes – Contém zinco e selênio que estimulam a atividade cerebral e em alguns tipos de peixes como sardinha, cavala, cavalinha e salmão encontramos o ômega 3 que protegem as membranas dos neurônios ;

· Ovo – Fonte de colina, substância que produz um neurotransmissor chamado de acetilcolina, que previne a depressão e a ansiedade;

· Alface – Possui uma substância chamada Lactulina que tem ação calmante;

· Frutas cítricas – Possuem vitamina C, que protege a imunidade além de ser antioxidante, afastando os radicais livres que detonam os neurônios;

Enfim, esses alimentos fazem parte de uma alimentação equilibrada que é um fator imprescindível para a saúde geral do corpo. Além disso, praticar exercícios físicos e atividades que dão prazer também ajudam a manter a saúde do seu cérebro em dia. Quarenta por cento do que a gente consome é para manter o bom desempenho do cérebro. Para as crianças que estão iniciando a fase escolar, além do leite é importante também consumir pão integral e frutas vermelhas que ativam o sistema nervoso e o funcionamento da memória.

As frutas vermelhas, como uva, framboesa e amora, contêm flavonóides que protegem os neurônios, e melhoram a memória. Na adolescência acrescente à alimentação o Omega 3. Nozes, sementes e a gordura presente em alguns peixes são neuroprotetores. Eles impedem a morte precoce dos neurônios, e conseqüentemente a perda da memória. Na dieta amiga do cérebro, a colina, um nutriente encontrado na gema do ovo, auxilia na formação intelectual e na transmissão dos impulsos nervosos.

O ovo também tem outra excelente vitamina: a B12. Na falta de vitamina B, o indivíduo pode sofrer demência, e perda de memória semelhante á provocada pelo mal de Alzheimer. E um alerta para todas as fases da vida: excesso de açúcar e gordura são inimigos do cérebro. Eles podem colaborar para o processo de deposição de gorduras nas artérias que levam o sangue para o cérebro, desta forma elas facilitam a morte dos neurônios.

Receitas amigas do cérebro:

Sanduíche de atum com pão integral:

• 2 fatias de pão integral

• 4 folhas de rúcula

• 1 colher de sopa de atum ralado

• 1 colher de sopa de cream cheese

• 4 fatias finas de manga

Sanduíche de frango com pão integral:

• 2 fatias de pão integral

• 1 folha de alface

• 6 folhinhas de manjericão

• 4 tomates secos ou 4 fatias de tomate

• Frango desfiado e temperado

Suco de couve com laranja e maçã:

• 2 folhas de couve

• Suco de 2 laranjas

• 1 maçã com casca

Bater todos os ingredientes, com três pedras de gelo no liquidificador.

Suco de frutas vermelhas:

• 6 unidades de morango

• 6 framboesas

• 100 ml de leite

• 50 ml de iogurte natural

• 1 colher de chá de aveia

• 3 pedras de gelo

Bater todos os ingredientes no liquidificador

Os segredos da Semente de Chia

Os segredos da Semente de Chia

A chia tem sido ultimamente muito usada como alimento emagrecedor, mas seus benefícios vão muito além disso. Essa semente tem origem da região das andinas, eles a chamam de Salvia hispânica, mas nós “abrasileiramos” como Chia. Rica em proteína, suas sementes são pequeninas, brancas, acinzentadas ou pretas. Para saúde, traz diversos benefícios como:

– Controle da glicemia,

– Antiinflamatória

– Reduz o colesterol ruim

– Protege contra doenças cardíacas

– Ajuda a combater o envelhecimento precoce

– Regulariza o intestino

Muitos começam a consumir a chia pelo seu poder de emagrecimento, na verdade, a chia, em contato com a água infla, aumenta seu tamanho, como uma gelatina, o que estufa no estomago e trás a falsa sensação de saciedade, o que evita “os beliscos” ou exageros durante o dia. Fonte de cálcio, ferro, fósforo, magnésio, manganês, selênio e zinco, a chia se torna um grande aliado ao funcionamento adequado do organismo. Para a farinha e/ou a semente, consumir 2 colheres de sobremesa todos os dias. O óleo precisa de orientação nutricional para cada pessoa.

Shake de Chia

Ingredientes:

• 2 potes de iogurte grego light de morango ou o sabor de sua preferência

• 2 colheres de mix de oleaginosas

• 2 colheres (sopa) de sementes chia

• Gojy berry hidratados a gosto

• Mirtilo para enfeitar.

Modo de preparo:

Em um copo, taça ou pote de sobremesa, misture um iogurte com 1 e 1/2 colher (sopa) de chia. Por cima, arrume as oleaginosas. Acrescente outro pote de iogurte. Polvilhe o restante da chia e arrume o gojy berry por cima (molhe as antes para ficarem macias). Leve à geladeira por 30 minutos e sirva.

Rendimento:

2 porções – 150 a 180 calorias por porção.

Veja qual chá combina melhor com você

Veja qual chá combina melhor com você

Chá Preto

Os antioxidantes do chá ajudam a eliminar os radicais livres, a manter os vasos flexíveis e a promover um fluxo sangüíneo saudável, o chá preto atenua os efeitos nocivos dos alimentos gordurosos porque dão ao organismo um tempo maior para transformar as gorduras de baixa densidade (que resultam o mau colesterol) em gorduras de alta densidade.

O consumo do chá preto traz tanto o benefício dos bioflavonóides como da cafeína, que é vasodilatadora. Ao dilatar os vasos, a cafeína facilita a passagem das placas gordurosas. Então essas placas irão até o fígado, onde poderão ser destruídas, prevenindo o depósito nas artérias.

Chá Verde

O chá verde é feito com folhas de Camellia Sinensis, é a mesma erva que dá origem ao chá preto. Auxilia na perda de peso, diminuição das taxas de colesterol, controla a pressão arterial, ativa o sistema imunológico, reduz o risco de artrose, aterosclerose dentre outras doenças degenerativas, tem ótima ação cicatrizante por uso tópico. Contém altas concentrações de antioxidantes como as catequinas, os carotenóides e os flavonóides, estimulantes como a cafeína, minerais (potássio, sódio, flúor, entre outros), além da teofelina, que é um potente vasodilatador.

Chá Branco

As flores da erva são colhidas quando novas. Graças à coloração prateada desses brotos, a bebida recebeu o nome de chá branco. Como a planta não passa por oxidação, seus princípios ativos são mais concentrados. É o mais eficiente para queimar gorduras, “turbina” o metabolismo, combate o envelhecimento precoce, possui menos cafeína do que o chá verde e reduz o risco de doenças cardiovasculares.

Deve ser evitado por lactantes, gestantes e pessoas com problemas gástricos e cardíacos. O típico chá inglês é preparado com chá preto. Coloque cerca de duas colheres de sopa da erva em um sachê ou compre os saquinhos prontos. Acrescente água fervente e deixe em infusão por dois a cinco minutos. Adoce a gosto, lembrando que chá preto é mesmo mais amargo que chás de frutas. O chá inglês leva leite. Coloque cerca de um terço de xícara de leite na temperatura ambiente.

Entre os chás mais indicados para a desintoxicação estão o de capim-cidreira, camomila, alecrim, centelha, hortelã, erva-doce, sálvia, cardo-santo, espinhadeira-santa, coentro e bardana. O conhecido efeito “termogênico” é obtido nos chás de hibisco, casca de laranja amarga, carqueja, boldo, fucus, guaçatonga e salsaparrilha.

Destaque para os chás branco, verde e vermelho, ervas de cultura tradicional, bastante celebrados por suas propriedades medicinais. A queima de gordura é alcançada a partir da aceleração do metabolismo e da queima de calorias que ajudam na quebra de moléculas de gordura já acumuladas no organismo e consequentemente a emagrecer.

Chá diurético Auxilia no funcionamento dos rins, diminuindo inchaços (edemas) e, com isso, pode ajudar no controle da hipertensão arterial. Podem ser usadas as seguintes ervas:

– Chapéu-de-couro

– Rosa-mosqueta

– Folha de abacate

– Quebra-pedra

– Cavalinha

Chá laxativo

Auxilia no funcionamento intestinal. Podem ser usadas as seguintes ervas:

– Folhas de sene

– Jalapa

– Funcho (ou carqueja)

Chá tranqüilizante

Age como indutor de sono e tranqüilizante. Podemos usar:

– Folhas de melissa

– Sementes de maracujá doce

– Erva-cidreira

– Alfazema

Chá digestivo

Favorece as secreções salivares e gástricas e o peristaltismo do tubo digestivo. Podemos utilizar:

– Sementes de erva-doce

– Cascas de laranja com canela

– Camomila

– Boldo

Dica: se não gostar do gosto do chá, misture com uma fruta

Ex: abacaxi ou limão.

Você conhece os Benefícios do Amaranto?

Você conhece os Benefícios do Amaranto?

Amaranto é um cereal rico em carboidratos, proteínas e gorduras, e ainda não contém glúten, podendo ser consumido por intolerantes ao glúten e celíacos. A maior parte das calorias oriundas do amaranto é dos carboidratos, e como a maioria dos outros cereais integrais, fornece uma quantidade boa de vitaminas e minerais importantes à saúde. No geral, substituir grãos refinados pelos integrais, como amaranto, arroz integral, quinua, ajuda a diminuir risco para desenvolver problemas do coração.

Os cereais refinados carecem de vitaminas, minerais e fibras importantes ao bom funcionamento corporal, e não sacia tanto quanto os cereais integrais. Mas a presença dos fitoesteróis presentes no amaranto ajuda a reduzir os níveis de colesterol sanguíneo. E esses fitoesteróis também são encontrados na soja, nos legumes e em outros grãos.

O amaranto ainda é uma boa fonte de cálcio de origem vegetal, e muito versátil na cozinha, a versão em grão pode ser usado em sopas, tortas, barras de cereais, pães, bolos, quibes, e cozidinho mesmo para comer com feijão nas refeições principais, no lugar do arroz. Temos a versão já em flocos, pronta pra consumir, podendo ser acrescida a iogurtes, salada de frutas, açaí, shakes, sucos, etc.

PROTEÍNAS: Possui 15% de proteínas que são essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo.

CÁLCIO: É uma fonte de cálcio de fácil absorção (semelhante ao leite), além de possuir fibras, zinco e fósforo.

SEM GLÚTEN: Por não possuir glúten, possibilita que aqueles que são portadores de doença celíaca consumam amaranto sem restrições para a saúde.

FÁCIL CONSUMO: O grão não possui sabor, sendo assim, ele pode ser adicionado a frutas variadas, iogurtes, saladas e outras preparações como bolos e pães.

COLESTEROL: Alguns estudos recentes apontam inúmeros efeitos benefícios de seu consumo, que deve ser diário, na diminuição do colesterol.

INTESTINO: É rico em fibras, contribui na melhora do trânsito intestinal.

Bolo de banana com Amaranto – sem glúten e sem lactose

1 ovo

1 xícara de açúcar

1/3 de xícara de creme vegetal

1 banana amassada

1/2 xícara de amido de milho

1/2 xícara de farinha de mandioca

1 colher de chá de sal

1 colher e meia de chá de fermento para pão

1 xícara de flocos de amaranto

1/4 de xícara de leite de soja

2 bananas cortadas em rodelas para decoração

2 bananas cortadas no sentido do comprimento para o recheio

Açúcar e Canela para polvilhar

1. Bata com uma batedeira o ovo com o açúcar, acrescente o banana amassada e o creme vegetal.

2. Pare de bater e coloque o amido de milho. Misture bem com uma colher. Volte a bater e coloque a farinha de mandioca e o sal.

3. Pare de bater mais uma vez e coloque o amaranto misturando bem com uma colher. Volte a bater e incorpore o leite. Por último, acrescente o fermento e misture com uma colher.

4. Coloque metade da mistura em uma forma de bolo inglês untada com óleo. Arrume uma camada de recheio com as 2 bananas cortadas no sentido do comprimento. Polvilhe um pouco do açúcar. Coloque o restante da massa e decore com as 2 bananas cortadas em rodelas, polvilhe bastante açúcar e canela.

5. Leve ao forno pré-aquecido em fogo médio por aproximadamente 40 min (o meu ficou pronto em 35 min). Cuidado para não ultrapassar o tempo de forno, senão o bolo ficará ressecado. Faça o teste do palito.

Dieta Detox pós Copa do Mundo

Dieta Detox pós Copa do Mundo

Para muitos, o ano começa agora quando falamos de dieta! Após um longo período com muitas festas e comemorações, vamos cuidar um pouco mais de nossa saúde! Ano novo, natal, carnaval, páscoa, feriados, jogos… que tal uma desintoxicação para eliminar seu corpo dos excessos e toxinas consumidas durante todo esse tempo? Vale lembrar que a dieta não pode ser feita por muito tempo, e deve ser orientada por um nutricionista. Por ser de baixa caloria, pode gerar tontura e mal estar.

 As dietas detox normalmente variam entre 900 a 1000 kcal com o mínimo de consumo de carboidrato e normalmente sem glúten, carnes vermelhas e sem leites e derivados. Para quem quiser seguir uma dieta mais a risca com todos esses requisitos de exclusão alimentar, segue algumas dicas de alimentos para colocar no seu dia a dia:

– Alimentos sem glúten: arroz integral, milho, quinua, soja, batata, cenoura, mandioca, inhame, cana-de-açúcar, tapioca, sementes de amaranto e girassol, soja, milho, frutas e farinhas de frutas (farinha de coco, banana).

– Alimentos lipolíticos (ajudam na degradação da gordura/ são termogênicos): Melão,

– Abacaxi, Tangerina, Hortelã e Pêra, Cafeína, Proteínas (aumentam a atividade metabólica),

– Flavonóides (uvas, frutas cítricas, couve-flor), Alimentos diuréticos, melancia, beterraba e suas folhas, Coco, Maça, suco de limão, cenoura, escarola, repolho, broto de feijão, salsinha, pepino, abobrinha, chuchu, alface, abacaxi, pêra, morango– pois têm 90% de água

– Alimentos anti-ansiolíticos (caqui)

RECOMENDAÇÃO

É importante comer somente o suficiente, sem pressa, mastigando muito bem o alimento. Também é recomendado dar preferência à ingestão de vegetais folhosos, castanha-do- pará, peixes e frutos do mar. Alimentos ricos em vitamina B6, há uma concentração de triptofano, aminoácido que produz a serotonina, neurotransmissor responsável pelo bom humor.

As principais fontes das vitaminas são frango, atum, banana, cereais integrais, levedo de cerveja, arroz integral, cará, batata, alho e sementes de gergelim. O zinco pode ser encontrado nos frutos do mar, mas está presente também nas carnes de boi, porco e de aves. É encontrado no leite, iogurte, cereais, germe de trigo, feijões, nozes, castanhas, amêndoas e ricota, entre outros.

Cuidado com alimentos ricos em Ferro e filatos. O magnésio também é conhecido como o mineral antiestresse. Os alimentos mais ricos no componente são as castanhas, soja, leite, peixes, verduras, cereais integrais e pão. As castanhas-do-pará são especialmente recomendadas, elas são também ricas em selênio, bom para impedir o estresse e possuem triptofanos que ajudam a sintetizar a serotonina. Presente nas frutas cítricas, a vitamina C também faz parte do arsenal antiestresse.

A dieta deve constar ainda de alimentos ricos em cálcio, como iogurte, leite e seus derivados. Também em ácido fólico (brócolis, lentilha e feijão), além de magnésio e manganês. Brócolis (mais uma vez), chicória, acelga e alface são ricos nesses nutrientes.

Incluir

Água de coco, Tudo light – diet só geleia, Milho, Poucas vezes alface – calmante – diminui metabolismo

Alimentos ácidos (tomate) apenas 1x/dia pois ajudam na digestão

Diminuir ao máximo o sal, os condimentos ou molhos salgados, e aumentar a ingestão de água e fibra

DICAS:

– Laranja, tomate, banana e manga – ajudam a desinchar pois são ricos em potássio

– Melão, salsão, aspargo, agrião, rúcula e almeirão – são diuréticos naturais

– Fibras como aveia, granola, ameixa seca e uva – previnem a prisão de ventre

– Folhas verde-escuras – ativam a circulação

– Ervas aromáticas e especiarias em geral

– Alho – diminui a pressão arterial e combate o inchaço

– Salsa – é rica em vitaminas e minerais e ajuda a digerir os alimentos mais pesados e atua como diurético.

Os alimentos que devem ser evitados são:

– Reponho, couve, couve-flor e batata-doce – fermentam e provocam gases

– Refrigerantes (mesmo o light e os diet) – são bebidas ricas em sódio

– Embutidos (salame, mortadela) e carnes como bacalhau e carne seca – Têm muito sal

– Enlatados em geral: palmito, atum, sardinha, milho, ervilhas, etc…

– Café, chá mate, guaraná, achocolatado e outros alimentos que contêm cafeína

– Fritos e lanches servidos em fast-food

– Condimentos prontos, como ketchup e a mostarda

– Doces – abusar do açúcar acelera a produção de toxinas.